Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi: Setembro 2008

Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi

ESCOLA SEDE - EB 23 de Luísa Todi
Rua Adriano Correia de Oliveira - Setúbal 2910-373 SETÚBAL
Telefone: 265 790 300 / FAX: 265 732 950 / e-mail: AVELT@sapo.pt

22 setembro 2008

COORDENAÇÃO DOS DIRECTORES DE TURMA


IMPORTANTE


DOCUMENTAÇÃO RELEVANTE PARA A ACTIVIDADE DOS DIRECTORES DE TURMA


18 setembro 2008

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE


IMPORTANTE


DOCUMENTAÇÃO RELEVANTE


LISTA DIRECTORES DE TURMAS E DE SECRETÁRIOS DAS TURMAS DOS 2º E 3º CICLOS

ANO LECTIVO 2008/2009

Mapa de Reuniões do 3º Ciclo

CALENDÁRIO

Setúbal, 16 de Setembro de 2008

O Presidente do Conselho Executivo

Conselho Geral Transitório

MEMBROS QUE O INTEGRAM COM DIREITO A VOTO À DATA DE 23 DE SETEMBRO DE 2008

Representantes do Pessoal Docente

Efectivos

1 - Vítor Manuel Ramalho Ferreira
2 - Maria de Lourdes Serrano
3 - José Pires Martins Pereira
4 - Maria José Gonçalves Gomes
5 - Cecília de Fátima Santos
6 - Margarida Maria Sousa
7 - Maria José de Almeida Cruz

Suplentes

1 - Horácio Rodrigues Celorico
2 - Artur de Sousa Ramos
3 - Fernando Alberto Afonso
4 - Paulo Jorge Bonito
5 - Maria Filomena Cordeiro da Silva
6 - Alexandre José Alves
7 - Maria da Paz Lacueille

Representantes do Pessoal Não Docente

Efectivos


1 - Maria de Deus Guerreiro
2 - Ângela Maria Santos Nunes

Suplentes


1 - Isabel Rita Ferreira
2 - Alda Maria Peralta

Representantes dos Pais e Encarregados de Educação


Efectivos

1 - Carlos Tomás
2 - Carla Russo
3 - Cenira Almeida
4 - António Miranda
5 - Carlos Pardete
6 - Jaime Santana

Suplentes

1 - Anabela Marques
2 - Maria Céu Santos
3 - Carlos Gaé Santos

Representantes da Autarquia

1 - Maria Celeste Paulino
2 - Bruna de Fátima Dias
3 - Pedro Manuel Jacques

Representante da Escola Superior de Educação

1 - Clara Cibele Figueiredo

Representante da Liga dos Amigos da Terceira Idade

1 - Vanda Macedo

CALENDÁRIO DE APRESENTAÇÕES
ANO LECTIVO 2008/2009


INFORMAÇÃO

A recepção aos alunos do 5º ano efectuar-se-á no dia 19 de Setembro, contando com a presença de todos os docentes do respectivo Conselho de Turma.

A Ordem de Trabalhos será a seguinte:

Ponto um - Apresentação dos professores, alunos e encarregados de educação (30 minutos);
Ponto dois - Visita à escola (30 minutos);
Ponto três - Informação e definição de estratégias de trabalho (30 minutos).

No primeiro momento, para além da apresentação serão prestadas informações que os docentes considerem importantes. O Director de Turma distribuirá uma agenda que poderá ser explorada neste primeiro momento e nas aulas de Formação Cívica. Deverão neste dia realçar o facto da escola ser nova e da necessidade de preservar o que é dos alunos.

Na visita à escola, o DT e secretário ou outro docente deverão indicar os espaços fulcrais, nomeadamente os WC, o bar, o refeitório, o serviço administrativo, a biblioteca…. passando pela exposição de clubes e projectos, mostrando a oferta que existirá e onde podem participar.

Por fim, o Conselho de Turma reúne-se numa primeira abordagem ao PCT.

Neste dia, realizar-se-ão ainda reuniões de PCT dos 7º, 8º e 9ºAnos de Escolaridade, de acordo com mapa anexo, tendo como Ordem de Trabalhos o seguinte:

Ponto um - Informações;
Ponto dois - Definição de estratégias de trabalho;
Ponto três - Outros assuntos.

Os Conselhos de Turma de 6º ano serão convocados pelo Director de Turma durante o primeiro mês de actividades lectivas (entre 22 de Setembro e 22 de Outubro).

CALENDÁRIO DAS APRESENTAÇÕES
5º ANO DE ESCOLARIDADE


14 setembro 2008

Conselho Geral Transitório


C O N V O C A T Ó R I A

Para efeitos de adaptação ao novo regime de autonomia, administração e gestão do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi, dever-se-á constituir um Conselho Geral Transitório (artigo 60º, Capítulo VIII - Disposições transitórias e finais, do Decreto-Lei nº 75/2008, 22 de Abril).

Produziu o Ministério da Educação, em 30 de Abril, sobre esta matéria, na sequência do entendimento estabelecido com as organizações representativas dos docentes, Despacho Interno - Constituição do Conselho Geral Transitório – onde se pode ler que “o disposto no n.º 1 do artigo 62.º do Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril deve estar cumprido, impreterivelmente, até 30 de Setembro de 2008”.

Assim, dando cumprimento ao estipulado, após se ter efectuado a eleição dos membros representantes do pessoal docente (7 elementos) e do pessoal não docente (2 elementos), designados que estão pela Câmara Municipal de Setúbal (3 elementos) e pelas Associações de Pais e Encarregados de Educação (6 elementos) os seus representantes, cooptados 2 dos 3 elementos representativos da comunidade local, convoco o primeiro Conselho Geral Transitório, para o próximo dia 23 de Setembro de 2008, pelas 18h 30m, reunião que terá lugar na Sala 5, do Pavilhão A da EB 2/3 de Luísa Todi, Escola Sede do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi.

A Ordem de Trabalhos será a seguinte:

Primeiro ponto – Tomada de posse dos vinte elementos que, à data, compõem o Conselho Geral Transitório;

Segundo ponto – Designação do terceiro representante da comunidade local (nº 7, do artigo 60º, Capítulo VIII - Disposições transitórias e finais, do Decreto-Lei nº 75/2008, de 22 de Abril).

Setúbal, 12 de Setembro de 2008

O presidente da Assembleia cessante do AVELT

Vítor Manuel Ramalho Ferreira

10 setembro 2008

NOVO REGULAMENTO INTERNO DO AGRUPAMENTO

Apresenta-se aqui o NOVO REGULAMENTO INTERNO do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi, aprovado em sede de Assembleia de Agrupamento.

Interessa na consulta ter em conta:

Cor VERDE - Pontos da anterior regulamentação com nova numeração, mas sem alteração de conteúdo;

Cor ROXA - Nova regulamentação com aprovação condicionada segundo orientações contidas em Nota de Rodapé;

Cor AZUL - Nova regulamentação.




NOTA: Este Regulamento Interno incorpora toda a matéria legislativa mais recente com excepção dos elementos relacionados com a avaliação de docentes a partir do ano lectivo 2008/2009 (ainda a aguardar discussão no seio da comunidade docente do Agrupamento) e as matérias relacionadas com o novo Regime de Autonomia, Administração e Gestão das Escolas e Agrupamentos - Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril. Competirá ao futuro Conselho Geral Transitório, cujas condições de funcionamento estarão reunidas até ao próximo dia 30 de Setembro de 2008, promover a reflexão, a constituição e a aprovação dos conteúdos referidos.

Logotipo do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi

Aprovado na Assembleia de Agrupamento realizada em 4 de Setembro de 2008, na sequência de concurso público levado a efeito no decorrer do ano lectivo de 2007/2008.

Em vigor partir do dia 5 de Setembro de 2008.

Autoria - Fátima Pais

09 setembro 2008

ACTIVIDADES DE PREPARAÇÃO DO ARRANQUE DO ANO LECTIVO


ATENÇÃO!!!

NOVA CALENDARIZAÇÃO

Determinada a 8 de Setembro de 2008



CADA DOCENTE ESTÁ CONVOCADO APENAS PARA AS REUNIÕES ACIMA REFERIDAS. NOS RESTANTES DIAS, ATÉ AO INÍCIO DAS AULAS, OS PROFESSORES TRABALHAM AUTONOMAMENTE NO QUE ENTENDAM NECESSÁRIO. NÃO SERÁ MARCADO HORÁRIO NEM LOCAL PARA O EFEITO.

05 setembro 2008

ACTIVIDADES DE PREPARAÇÃO DO ARRANQUE DO ANO LECTIVO


ATENÇÃO!!!

NOVO CALENDÁRIO


04 setembro 2008

EDITAL

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURA A DIRECTOR/A DO CENTRO DE FORMAÇÃO DE ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS ORDEM DE SANTIAGO

Devido à reorganização dos Centros de Formação de Associação de Escolas, torna-se público conhecimento de que, ao abrigo dos Artigo 27º do regime jurídico da formação contínua de educadores de infância e de professores dos ensinos básico e secundário, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 249/92, de 9 de Novembro, com as alterações que lhe foram introduzidas, por ratificação, pela Lei n.º 60/93, de 20 de Agosto, pelo Decreto-Lei n.º 274/94, de 28 de Outubro, pelo Decreto-Lei n.º 207/96, de 2 de Novembro e pelo Decreto-Lei n.º 155/99 de 10 de Maio em conjugação com as alterações introduzidas pelo Artigo 4° do Decreto-Lei n.º 15/2007 de 19 de Janeiro e ainda ao abrigo do ponto 9 do Despacho n.° 18039/2008, de 4 de Julho, está aberto, a partir da presente data e pelo prazo de 5 dias úteis, concurso para apresentação de candidaturas ao exercício do cargo de Director(a) de Centro de Formação de Associação de Escolas Ordem de Santiago, de acordo com as seguintes orientações:

Prazo de candidatura:
De 4 a 10 de Setembro de 2008

Local de apresentação:
Escola Secundária, 2/3 Lima de Freitas, Rua Batalha do Viso, Setúbal
(2ª a 6ª feira das 9h30 às 16h)

Forma de apresentação:
Envio de toda a documentação em suporte de papel e digital em envelope fechado, com referência ao concurso ao qual é opositor, contendo requerimento de apresentação a concurso com os seguintes documentos: Currículo Vitae (acompanhado dos comprovativos considerados pertinentes pelo candidato) com o máximo de cinco páginas; Um plano de Acção para o Centro (máximo de seis páginas).

Condição legal exigida:
Consideram-se qualificados para o exercício do cargo os docentes que sejam professores titulares (nº 1 do artigo 27º do Regime Jurídico da Formação Contínua - normativo supra referido) a exercer funções nas escolas associadas do Centro de Formação de Associação de Escolas, Ordem de Santiago.

Perfil exigido para o exercício do cargo:
Consideram-se qualificados para o exercício do cargo os docentes que sejam professores titulares (nº 1 do artigo 27º do Regime Jurídico da Formação Contínua - normativo supra referido) a exercer funções nas escolas associadas do Centro de Formação de Associação de Escolas, Ordem de Santiago e que preencham uma das seguintes condições:

- Possuir experiência correspondente a pelo menos um mandato completo no exercício do cargo de Director de Centro de Formação de Associação de Escolas ou;
- Ser detentor(a) de habilitação específica para o efeito, nos termos da alínea nº 1 do artigo 56º do Estatuto da Carreira Docente dos Educadores de Infância e dos Professores dos Ensino Básico e Secundário ou;
- Possuir experiência correspondente a, pelo menos, um mandato completo no exercício dos cargos de Director ou Adjunto do Director, Presidente ou Vice-Presidente do Conselho Executivo ou membro do Conselho Directivo nos termos dos regimes previstos respectivamente no Decreto-Lei n.º 75 /2008, ou no Decreto-Lei 115-A/98, alterado por apreciação parlamentar, pela Lei n.º24/99, no Decreto-Lei n.º 769-A/76 ou;
- Possuir experiência, pelo menos três anos como Director Pedagógico de estabelecimento de ensino particular e cooperativo.

Processo de selecção:
A selecção será feita pelo Conselho de Associação de Escolas das Escolas/Agrupamentos associados, de acordo com o regulamento do processo concursal (para efeitos da realização da entrevista, em caso de empate, os candidatos serão avisados pelo meio mais expedito).


Afixação da Lista Provisória de Candidatos com os resultados do concurso:
Os resultados provisórios do concurso serão afixados no dia 18 de Setembro de 2008, na escola sede do centro de formação, divulgado no mesmo dia na páginas web da escola sede, DRELVT e publicitado pelas escolas associadas.

Recursos da decisão do Conselho de Associação de Escolas:
cabe recurso para o Senhor Director Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo no prazo de cinco (5) dias úteis a contar do primeiro dia útil seguinte à afixação dos resultados.

Afixação final dos resultados:
Não havendo lugar a recurso a lista provisória converte-se em definitiva no dia 26 de Setembro de 2008. Caso haja lugar a recurso a lista será afixada logo que comunicada a decisão do Senhor Director Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo.

Escola Secundária 2/3 Lima de Freitas, 3 de Setembro de 2008

A Presidente do Conselho Executivo da Escola Sede do Centro de Formação de Associação de Escolas Ordem de Santiago

(Dina Teresa Mestre Fernandes)


Regulamento do processo concursal para a selecção do Director do Centro de Formação da Associação de Escolas Ordem de Santiago

1 – A selecção do Director do Centro de Formação decorre de um processo concursal aberto aos docentes das escolas associadas com a categoria de professor titular (n.º1 do art.º 27 do RJFCP).

2 – Será aberto um concurso, nos termos seguintes:

a) O edital/aviso de abertura do concurso, contendo os critérios de selecção do Director, é tornado público através da página electrónica da escola e da página electrónica da DRELVT e mediante publicitação em todos as escolas/agrupamentos de escolas associadas.
b) O concurso manter-se-á aberto durante cinco (5) dias úteis, designadamente de quatro a dez de Setembro, conforme constante no edital respectivo.
c) A candidatura deverá ser formalizada em envelope fechado, contendo requerimento dirigido ao Presidente do Conselho Executivo da Escola Sede do Centro de Formação da Associação de Escolas da Ordem de Santiago, anexando curriculum vitae com a indicação de todos os elementos considerados relevantes, tendo em conta os critérios de selecção adiante descritos, bem como um Projecto de intervenção para o Centro de Formação.
d) Compete ao Conselho de Associação de Escolas seleccionar o Director, de entre as candidaturas apresentadas, tendo em consideração os critérios de selecção.
depois de aplicados os critérios.
f) Em caso de empate no 1º lugar, decorrerá uma entrevista de avaliação que incidirá no Plano de Acção apresentado, em dia e hora a indicar.
g) No processo de selecção do Director, devem ser dadas garantias de imparciabilidade atendendo aos casos de impedimento previstos no art.º44 do Código de Procedimento Administrativo.
h) A lista de seriação dos candidatos, será afixada na Escola Sede, no dia seguinte à deliberação do Conselho de Associação de Escolas, publicitados em todas as escolas associadas.
i) Será também comunicada, por carta registada com aviso de recepção, a todos os candidatos.
j) O Conselho de Associação de Escolas pode considerar, fundamentando, que nenhum dos candidatos reúne condições para ser eleito como director do Centro de Formação da Associação de Escolas Ordem de Santiago.
l) Da decisão do Conselho de Associação de Escolas cabe recurso para o Senhor Director Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo, no prazo máximo de cinco (5) dias úteis, a contar do dia seguinte ao da afixação da lista de seriação de candidatos.

3 – Critérios de selecção do Director do Centro
Após a recepção das candidaturas, a Conselho de Associação de Escolas procede à análise dos requisitos de admissão dos candidatos ao concurso e, após apreciação de cada um dos admitidos, seleccionará o Director tendo em atenção os seguintes critérios e pontuações:

3.1 – No Projecto de Acção do Centro de Formação, com o máximo de seis páginas, os candidatos definem os princípios estratégicos, os objectivos, bem como o planeamento das actividades que se propõem realizar no mandato, tendo em conta a realidade dos Agrupamentos e Escolas associadas (máximo trinta pontos).

• Projecto de Acção no CFAE (PA) (≤ 30 pontos)

Factores de apreciação do Projecto de Acção:
Princípios estratégicos (0 a 10 pontos)
Objectivos (0 a 10 pontos)
Planeamento das actividades (0 a 10 pontos)

3.2 – Curriculum Vitae (máximo 70 pontos)
3.2.1 – Exercício anterior do cargo de Director de um Centro de Associação de Escolas (3 pontos por cada ano de exercício até ao limite de 18 pontos)
3.2.2 – Exercício de funções de Director ou Presidente em órgãos de gestão escolar (2 pontos por cada ano até ao limite de 12 pontos)
3.2.3 – Membro de Comissões Pedagógicas (2 pontos por cada ano até ao limite de doze pontos)
3.2.4 – Exercício de funções de Adjunto ou Vice-Presidente de órgãos de gestão escolar (1 ponto por cada ano até ao limite de seis pontos)
3.2.5 – Habilitações literárias – Licenciatura (2 pontos); Pós-graduação em Educação e Formação (3 pontos); Mestrado em Educação e Formação (5 pontos); Doutoramento em Educação e Formação (7 pontos).
3.2.6 – Publicações da especialidade e projectos em revistas científicas reconhecidas (até ao limite de 2 pontos em função da relevância dos mesmos no âmbito da formação);
3.2.7 – Comunicações da especialidade apresentadas em conferências, congressos, colóquios, debates, seminários ou acções congéneres (até ao limite de 3 pontos em função da relevância das mesmas no âmbito da formação);
3.2.8 – Frequência de acções de formação nos últimos cinco anos, contados a partir do ano lectivo 2003/2004 sendo atribuído um ponto por cada vinte e cinco horas de formação, até ao limite de 10 pontos.

Regulamento aprovado pelo Conselho de Associação de Escolas do Centro de Formação de Associação de Escolas Ordem de Santiago

Escola Secundária 2/3 Lima de Freitas, 3 de Setembro de 2008

A Presidente do Conselho Executivo da Escola Sede do Centro de Formação de Associação de Escolas Ordem de Santiago

(Dina Teresa Mestre Fernandes)


ARTIGO DE OPINIÃO

2º CICLO À VISTA
Texto para pais e encarregados de educação

Armanda Zenhas in www.educare.pt

Armanda Zenhas é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, nas variantes de Estudos Portugueses e Ingleses e de Estudos Ingleses e Alemães, e conclui o curso do Magistério Primário (Porto). É PQND do 3º grupo da Escola EB 2,3 de Leça da Palmeira e co-autora de manuais escolares. É também mãe de dois filhos.

Novo ano lectivo e, com ele, nova escola. É o 2.º ciclo que se aproxima a passos rápidos. Por vezes, a alegria da transição de ciclo dá lugar a alguma ansiedade, que se pode tornar excessiva. Porquê esta ansiedade e como a ultrapassar? O que podem os pais fazer para facilitarem a adaptação dos filhos à nova escola?

Que diferenças existem entre o 1.º e o 2º ciclos?
O 1.º e o 2º ciclos são bastante diferentes. Convém que as crianças conheçam de antemão a estrutura e o modo de funcionamento do novo nível de ensino que vão frequentar. Aqui fica o registo das principais diferenças entre os dois ciclos:
1. No 2.º ciclo existem mais disciplinas do que no 1.º. A cada uma corresponde o seu horário semanal predefinido, o seu manual e outros materiais e o seu professor.
2. Do regime de monodocência, as crianças irão passar para uma escola em regime de pluridocência, pelo que terão muitos mais professores.
3. Normalmente a escola do 2.º ciclo é muito maior do que a do 1.º ciclo.
4. Muito frequentemente as crianças têm aulas em mais do que uma sala, ao contrário do que acontecia até aí.
5. O grande intervalo (único), a meio da manhã ou da tarde, é substituído por vários intervalos pequenos, entre as aulas de 50 min ou de 90 min. Os toques de campainha assinalam a necessidade de regressar à sala de aula.
6. Até aí os maiores da escola, os jovens alunos irão tornar-se nos mais pequenos, adquirindo um estatuto diferente.
Todas estas diferenças apontam para a necessidade de uma autonomia crescente. As crianças vão precisar de saber consultar o seu horário e movimentar-se na escola, para se dirigirem à sala correspondente a cada disciplina, na hora exacta. Vão ter que prestar atenção aos toques e respeitá-los. A seu cargo ficará a decisão de qual ou quais os intervalos em que devem ou precisam de realizar algumas tarefas, tais como lanchar, comprar senhas para a cantina ou ir ao quarto de banho.

Como podem os pais ajudar os filhos na adaptação à nova escola?
O diálogo é um dos melhores remédios para todos os males. Conversar de forma aberta e amigável com os filhos pode ajudar muito na resolução de inúmeros problemas. Esta é mais uma das situações em que tal relacionamento se torna importante. Eis algumas estratégias que podem ser úteis:
1. Converse com o seu filho sobre a nova escola. Tente aperceber-se dos seus sentimentos relativamente ao início do novo ano escolar.
2. Procure ajudá-lo a desenvolver expectativas positivas, mostrando-lhe os aspectos positivos da mudança: representa crescimento; possibilita a aprendizagem de muitas coisas novas (as novas disciplinas); proporciona o conhecimento de novos amigos.
3. Leve-o à nova escola, para que a conheça. Passeie até lá de vez em quando. Refira-se a ela sempre de forma positiva.
4. Se sentir algum receio relativamente a esta mudança, não o manifeste perante o seu filho. Não lhe demonstre a sua ansiedade. Não se esqueça de que os gestos e as expressões do rosto muitas vezes traem as palavras. Por isso, esteja também atento à sua linguagem corporal.
5. Proporcione ao seu filho a oportunidade de falar com outras crianças que já frequentem a escola e que gostem dela. Elas poderão explicar-lhe como ela funciona e falar-lhe sobre a sua própria adaptação, numa linguagem mais próxima da dele.
6. Quando receber o horário, faça desse momento algo de especial e ajude o seu filho a consultá-lo. Fale-lhe sobre a sua estrutura (duração das aulas, intervalos, toques, etc.) e faça-lhe sentir a necessidade de autonomia como um prémio pelo seu crescimento e não como um fardo atemorizador.
7. Celebre em família o primeiro dia de aulas, com um jantar melhorado, com uma ida ao cinema ou com a realização de qualquer outra actividade do agrado do seu filho.
A maioria das crianças vivencia os primeiros dias na nova escola com algum receio e nervosismo. No entanto, a adaptação é, na maior parte dos casos, muito rápida e, num abrir e fechar de olhos, os receios são substituídos por sentimentos positivos.

Como preparar o novo ano escolar?
Para terminar, deixo algumas sugestões que poderão ajudar os pais na preparação do arranque do novo ano escolar.
• No início de cada ano lectivo, existem filas intermináveis nas livrarias e, por vezes, alguns dos livros pretendidos já estão esgotados. Para evitar estas preocupações, consulte a lista de livros adoptados na escola que o seu filho vai frequentar e compre-os assim que estiverem à venda.
• Encape os cadernos com os seus filhos. Peça-lhes que os marquem com o nome. Quando souberem a turma e o número, deverão acrescentar esses dados. Sugira ao seu filho que folheie os novos livros e acompanhe-o nessa actividade. Mostre-lhe o seu interesse pelas novas coisas que ele vai estudar, o que facilitará o desenvolvimento da curiosidade e da vontade de aprender.
• No início do ano lectivo, vá falar com o director de turma, o interlocutor entre a escola e a família. Poderá informar-se sobre as normas de funcionamento da escola e sobre o seu projecto educativo. Muitas escolas têm recursos que convém conhecer e utilizar, tais como clubes diversos, sala de estudo e biblioteca. Poderá também conversar com o director de turma acerca das características do seu filho, o que poderá a judar os professores a dar-lhe um acompanhamento mais individualizado.

Todos gostamos de sentir que dão importância àquilo que fazemos. É por isso que se torna importante que os nossos filhos percebam que valorizamos a escola e esta etapa das suas vidas. Dentro em breve eles vão sentir-se na sua nova escola como o peixe dentro da água. Até lá, uns precisarão de mais "bóias" do que os outros. O carinho e o interesse dos pais é que são sempre indispensáveis.

01 setembro 2008

Abertura do Ano Lectivo 2008/2009

Read this document on Scribd: ACTIVIDADES - Abertura do Ano Lectivo 2008-2009

A calendarização prevista e o local de realização das diferentes actividades podem sofrer alterações pelo que se recomenda uma consulta frequente e atenta.